26 de fev de 2015

Pinheiro Machado precisa tomar novos rumos

Por * Professor Paulo Cesar Brum 

Todo o pinheirense que ama esta terra, não poderia se omitir de expor suas preocupações a respeito de uma série de problemas que a cidade enfrenta. Muitos dizem que Pinheiro Machado é a terra do "já teve". Já teve o calçamento que foi classificado como um dos melhores do interior do Estado. Hoje é uma vergonha e está piorando a cada dia. 

Os responsáveis: os grandes caminhões que circulam e estacionam onde bem querem e a CORSAN que, quando por algum motivo remove o calçamento, conserta ao estilo tobogã. Cadê o Plano Diretor que disciplina o trânsito pela cidade? Ao se indagar sobre ele, o Executivo espera por iniciativas do Legislativo, e vice-versa. É um verdadeiro jogo de empurra, de omissão e por que não dizer de falta de responsabilidade. 

A cidade já foi considerada uma das mais limpas e a praça das mais bonitas. Atualmente, as plantas que proliferam ao longo das ruas são apenas podadas, ficando as raízes que brotam com mais força. O maior e dos mais antigos cedros da praça está com os dias contados, de tanto servir de banheiro público a qualquer hora do dia. A noite nem se fala. As bocas de lobo ao redor da praça e alguns canteiros estão servindo de coletores de água suja, porém, não é água oriunda das chuvas. Não temos ao redor da praça um centro de compras popular (camelódromo), no entanto temos um centro de trailers, é um, é dois, é três, quatro, cinco e às vezes seis e entreverados a eles começam a surgir os ditos camelôs. 

Mais uma vez, onde está o Plano Diretor para disciplinar a vida na cidade? Ou será que temos algum envolvimento político que impede que estes problemas sejam resolvidos? Estive na rodoviária como em uma das costumeiras visitas a certos lugares. Os viajantes que por aqui passam devem sair arrepiados pelo que veem. 

O Teatro Municipal já foi elogiado até por atores da TV Globo. Atualmente, não passa de um galpão velho. Não vou falar da estrutura do Parque Rodoviário, creio que deve ter caído uma bomba por lá, da aparência da Secretaria Municipal de Educação, do aspecto de algumas escolas e tantos outros lugares. O que está acontecendo? Eu fico triste em verificar este estado de coisas. Não vislumbro dias promissores. Afinal, o que poderíamos fazer? Vamos cruzar os braços e "apreciar" isto tudo, como sendo uma situação normal? Não temos nenhum amor e preocupação com o futuro que está parecendo cada vez mais cinzento? Qual é o pensamento de nossas "autoridades", do legislativo, do executivo e dos senhores secretários municipais? 

Existe algum plano de reestruturação de nossa cidade ou ainda não se deram de conta do que está ocorrendo? Se ainda não existe o tal Plano Diretor pelo menos que exista alguma lei de regramento para a estruturação e convivência na cidade que traduza a ordem, o progresso, a disciplina e a cultura. Desculpem-me seu eu desagradar alguém, pois é o desabafo de uma pessoa que optou fazer desta cidade a sua morada há mais de trinta anos. Encontro-me profundamente triste pelo o que estou vendo e observando, apesar de não ser pinheirense de nascimento. Este é o quadro que eu pinto a realidade da cidade com tintas de sombrias cores. Agora o resultado é o seguinte: mexemos neste vespeiro e veremos o que vai acontecer.

5 comentários:

Pinheiro Gestão Ambiental disse...

Muito bom professor. Concordo em gênero, número e grau com vossas palavras.

Anônimo disse...

Muito bem Diretor, falar o que se o senhor já falou tudo, Parabéns.só posso dizer que sinto vergonha quando alguém me pergunta como está Pinheiro Machado, Que saudade dos velhos governo como seu Laudelino, Dr. Humberto e Dr. Carlos Ernesto Betiolo, depois desses que passaram pela nossa prefeitura só vejo um que poderia fazer milagre porque é filho daqui chama-se Rogério Moura. abrasss.

Anônimo disse...

Infelizmente esta é a mais pura verdade... nossa cidade se encontra (e olha que já fazem anos)num deprimente estado de decadência, a situação é tão ruim que nem mesmo a esperança de melhora que se observava alguns anos atrás se nota atualmente... e olha que foram citados uma mínima parcela dos graves problemas com os quais convivemos diariamente... muito se fala (e nos orgulhamos) de sermos a 'capital da ovelha', mas na terra da ovelha hoje não temos sequer um frigorífico em funcionamento para que os produtores possam escoar sua produção... as estradas rurais se encontram em estado extremamente precário... quando começa a chover a 100 km de distância já nos falta água nas torneiras e muitas vezes tbm a luz, praticamente inexistem estruturas em condições adequadas para práticas desportivas... entre tantos outros problemas... abraços

Anônimo disse...

Muito bom Paulo! Dissestes tudo.

Irân disse...

Ha muito tempo eu tinha vontade de dizer o que dissestes professor Paulo, no TP, e muito mais. Por exemplo, onde vamos parar com essa cachorrada solta nas ruas de nossa cidade, sujando tudo, atrapalhando trânsito, quase derrubando pessoas, latindo e não deixando vizinhos dormir a noite inteira, sujeira para todo lado,na rua de maior comércio colocam caixas de papelão vazias, sacolas de lixo, nos fins de semana sabendo que feriados, sábado e domingo não há coleta de lixo, limpeza de pátio em fim de semana jogando a sujeira toda na rua para "embelezar" o fim de semana da nossa cidade, falta de calçamento nas nossas ruas, valos e valetas das nossas vilas residenciais, estradas mal cuidadas no interior do município, E a água ? Vamos ter problemas com certeza. E as providências ? E o povo, precisa se educar mais e não depredar as melhorias, quando surgem. É o nosso município gente, aquí nascemos e aquí vivemos, vamos tentar ajudar ou sugerir alguma coisa que possa melhorar, a crítica pela crítica não leva a lugar algum, mas, a discussão, o entendimento a busca de ajuda e novas soluções devem sempre ser bem vindas. Que outras pessoas se manifestem, não vamos ficar encima do muro fazendo fofoquinha política barata, parabéns professor Paulo Brum, destes o ponta pé inicial, parabéns. Irân Fagundes Veleda.