10 de jul de 2015

Rejeição do projeto que prevê proibição dos rodeios

O Projeto de Lei 2086/2011, do deputado Ricardo Tripoli (PSDB/SP), que pretende proibir as provas de tiro de laço, vaquejada e outras modalidades praticadas com animais nos rodeios do Brasil, foi rejeitado na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. 

O relatório do deputado federal Afonso Hamm (PP-RS), que rejeitava a proposta, foi aprovado por unanimidade entre os parlamentares que integram a Comissão.Hamm relata que a rejeição da proposta representa grande vitória da cultura, da tradição gaúcha e na preservação dos rodeios. “Os rodeios representam lazer, entretenimento e que renova as tradições. Além disso, movimenta as cadeias produtivas como criação de bovinos, cavalo crioulo e quarto de milha, utilizados para as provas”, observa Hamm ao ressaltar que o bem estar dos animais e os devidos cuidados com os mesmos são respeitados pelos organizadores das provas e participantes, porque caso contrário podem ser eliminados das provas e os organizadores receberem punições.

Durante pronunciamento, Afonso Hamm destacou a presença da presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) no Planalto Central, Loiva Calderan; o presidente da Confederação Internacional da Tradição Gaúcha, Dorvilio Calderan; o representante da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), Wilson Porto, a diretora cultural do MTG, Juliana Petroceli; o presidente da Associação Brasileira de Vaquejadas, Marcos Lima e assessor Nikson Rocha. Hamm lembrou que o pedido para que assumisse a relatoria do projeto partiu do cantor tradicionalista, João Luiz Corrêa e do MTG do Rio Grande do Sul, presidido por Manoelito Savaris.

Movimentação turística

Hamm comenta que esses eventos movimentam mais de R$ 2 bilhões e no país são realizados mais de 1.700 rodeios e que envolve mais de um milhão de pessoas. Somente no Rio Grande do Sul são realizados 400 eventos oficiais de rodeios.

Durante a votação, 12 deputados se manifestaram e parabenizaram o relatório elaborado por Afonso Hamm. Além disso, os representantes dos tradicionalistas também se manifestaram. Loiva Calderan diz que o relatório de Hamm, mantém a tradição gaúcha através dos rodeios”, opina a presidente ao salientar que os participantes e organizadores se preocupam com o bem estar dos animais e existe regulamentação das entidades para que isso seja cumprido. Além disso, todos os cuidados são observados, como a questão sanitária, a vacinação dos animais e os devidos cuidados de alimentação e presença de veterinários. Ainda ressalta que a rejeição desse projeto oportuniza seguir privilegiando o turismo interno, a economia do país, a cultura e a tradição.

O representante do MTG/RS, durante a votação, Dorvílio Calderan, destaca a satisfação dos tradicionalistas com a rejeição desse projeto e espera que também ocorra nas demais comissões de mérito. Wilson Porto e Juliana relatam que a luta continua e seguirão mobilizados cada vez mais para que esse aspecto cultural seja reconhecido e respeitado por todos.

O projeto ainda passará para Comissão do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Comissão de Turismo e Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

0 comentários: