Últimas Notícias
Carregando...

Ronaldo Madruga se posiciona quanto a pasta de saúde ser considerada como vilã das finanças municipais

Na terça-feira, 29 de setembro, foi realizada na câmara de vereadores de Pinheiro Machado uma audiência pública para a apresentação do cumprimento das metas fiscais do 2º quadrimestre de 2015. Na ocasião, foi confirmado pelo secretário da Fazenda Ilton Quadros e pela contadora do município, Cristiane Oliveira os gastos com saúde e educação do município acima do exigido por lei, acabam por se tornar um vilão nas finanças do município. O vereador Jaime Lucas disse que saúde e educação estão levando o município para o precipício. Conforme apresentado na audiência, no período de maio, junho julho e agosto de 2015, o município aplicou 32,48% em educação ( a lei exige no mínimo 25%) e 17,38% em saúde ( a lei exige no mínimo 15%). Frisado pelo secretário, os índices de saúde e educação estão elevados e tem faltado para outras áreas.

POSICIONAMENTO DE RONALDO MADRUGA - VICE-PREFEITO E SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE

Em entrevista ao jornal tribuna do pampa na edição do dia 8 de outubro Ronaldo Madruga  contestou com veemencia a tentativa de rotular os gastos com saúde como se fosse dela a culpa pela crise financeira municipal. Ronaldo bateu de frente contra os pronunciamentos feitos na audiência citada acima.

O vereador Jaime Lucas que é o principal defensor da tese de que a saúde produz estragos nas finanças locais, ainda sustenta em sua argumentação de que além de se gastar a mais, os serviços de saúde não estão a contento da população.

Sobre o fato Ronaldo declarou:
"Pinheiro Machado conta hoje com uma gama de serviços públicos em saúde bastante abrangente e importante. A nossa população possui acesso a raio X de última geração 24h, ultrasom todas as semanas, laboratório 24h para casos de urgência e emergência, atendimento de cardiologia, de oftalmologia, fonoaudiologia, pediatria, ginecologia, próteses dentárias gratuitas, atendimento psicológico e psiquiátrico humanizado através do CAPS, cobertura de 100% da Estratégia em Saúde da Família, atendimento domiciliar aos enfermos, teste da orelhinha, atendimento de urgência e emergência 24h, farmácia básica, entre outros serviços. Sabemos que muitas coisas ainda precisam ser conquistadas, mas não temos dúvidas de que houve muitos avanços nos últimos anos" declarou ao Jornal Tribuna do Pampa.

Leia também:

0 comentários