Últimas Notícias
Carregando...

Contas do Ex-prefeito Fernandinho são aprovadas

Luiz Fernando Leivas (PT) governou a cidade de 2009 a outubro de 2011, quando foi cassado pela câmara 

Os vereadores pinheirenses aprovaram por unanimidade, acompanhando o parecer emitido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS), as contas de 2010 do ex-prefeito Luiz Fernando Leivas (PT), que foi cassado pela própria câmara de vereadores, em 2011, por não responder aos questionamentos dos parlamentares. 

A votação aconteceu na noite de terça-feira, 15, sem a presença de Luiz Fernando, que tinha a prerrogativa de usar da palavra (ele ou seu procurador) por 20 minutos para fazer sua defesa. Para acompanhar a votação esteve presente na sessão o secretário da Fazenda na época, Roberto Ávila Dutra, e o presidente do PT local, Gilson Rodrigues. 

Alguns vereadores justificaram seus votos, De forma surpreendente, o vereador Renato Rodrigues (PSDB), disse que era anti-PT, mas que votava a favor de Fernandinho, como popularmente é chamado o ex-prefeito. "Talvez se não tivessem cassado ele, hoje seria o prefeito e não estaríamos nesta bagunça que estamos agora", disse. 

O vereador Fábio Dias (PDT) criticou o ex-prefeito, apesar de ter votado pela aprovação de suas contas. "Houve soberba no governo dele, trazendo pessoas de fora para governar. Será que não tinha pessoas competentes aqui em Pinheiro Machado?", questionou. 

O vereador Jaime Lucas (PMDB), que foi um dos principais articuladores para a cassação do mandato de Luiz Fernando, votou a favor das contas e se limitou a dizer que ele teve uma boa defesa perante o TCE-RS. "O advogado teve muita habilidade para livrá-lo dos diversos apontamentos", ev-denciou. 

Já o vereador André Kisuco (PSB), que hoje é líder do governo Felipe da Feira (PTB) na câmara e na época de Luiz Fernando foi coordenador de esportes, saiu na defesa do ex-prefeito. "O povo está cansado de blá, blá, blá! Pois é muita conversa e nosso município não melhora. Vejamos, em outubro de 2011 o prefeito Luiz Fernando foi cassado nesta Casa, e hoje, os mesmos que cassaram, votaram a favor das contas dele. Será que na época ele foi cassado de maneira política, por que estava com um projeto de calçamento quase saindo papel? Quem sofre hoje com as atitudes tomadas no passado, são os mais carentes, que pisam em barro todo dia que chove. Sei que muitos ficam 'brabos' quando falo em coisas não muito debatidas, mas como sempre digo, se sair da política, vou sair com a cabeça erguida, por falar o que penso", pontuou o vereador.

Créditos: Jornal Tribuna do Pampa

Leia também:

0 comentários