Últimas Notícias
Carregando...

Juntos para Competir apresenta projeto pela ovinocultura durante a XXXII Feovelha

Foi apresentado pelo programa Juntos para Competir (FARSUL, SENAR-RS e SEBRAE-RS) na tarde de quinta-feira, 28 de janeiro, durante a XXXII Feovelha, o projeto Desenvolvimento Produtivo e Mercadológico da Ovinocultura da Região Sul. A apresentação aconteceu no estande do SENAR-RS e contou com a presença do presidente da Farsul e do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae-RS, Carlos Sperotto, e o diretor-superintende da instituição, Derly Fialho e o superintendente do Senar-RS, Gilmar Tietböhl, bem como o presidente do Sindicato Rural de Pinheiro Machado, Rossano Lazzarotto, entre outros dirigentes de entidades ligadas a ovinocultura, como o presidente da ARCO, Paulo Afonso Schwab.  

Conforme Sperotto, que apresentou inicialmente o projeto, o foco é a fortalecer a cadeia produtiva de ovinos, através da reformulação de algumas ações do programa, e criando nichos para a produção de cordeiros em massa. "É necessário concentrar ações na produção de cordeiros, e fornecer carne de qualidade e em escala", disse o presidente da FARSUL. 

Para Roberto Grecellé, responsável estadual de projetos da ovinocultura do SEBRAE-RS apresentou aos presentes o que acredita ser as necessidades dos produtores de ovinos no estado, dentre as quais a geração de renda, indispensável para a efetividade dos avanços e transformações no setor. Ele apontou também a alta demanda atual do mercado por produtos ovinos. Grecellé falou ainda sobre alguns problemas que ainda precisam ser solucionados, como a insuficiência de frigoríficos no Rio Grande do Sul. "É importante lembrarmos que, mesmo com uma solução para isso, precisamos de produção em escala. O que precisa ser feito são ações pela harmonização e fortalecimento da cadeia, e organizar núcleos regionais de forma a produzir mais", terminou.  

O técnico da Regional Sul do SEBRAE-RS, Juliano Bolzoni, mostrou alguns focos estratégicos do projeto, como a promoção de sistemas de comercialização, onde os produtores sejam beneficiados; promover a educação empreendedora e a cultura de cooperação dentro dos grupos de trabalho na região; capacitação gerencial e técnica das empresas participantes, visando elevação da rentabilidade dos sistemas de produção ovina e trabalhar ações que mantenham a sustentabilidade das atividades desenvolvidas pelas empresas.

Leia também:

0 comentários