23 de mar de 2016

Geovane Teixeira espera que os atuais candidatos a Prefeito cumpram seus Planos de Governo

Na terça-feira, 15 de março, fazendo uso da palavra o vereador Geovane Dutra Teixeira, após saudar os presentes na sessão, registrou o recebimento de uma correspondência do Deputado Federal Afonso Hamm com a informação da destinação de uma emenda parlamentar no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para o nosso Município. Registrou também que o Deputado Federal Nelson Marchezan Junior protocolou uma emenda parlamentar individual no valor de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) que será utilizada na aquisição de equipamentos e materiais para a área de saúde de nosso Município. 

Na sequencia enfatizou sua visita na Expodireto-Cotrijal 2016 no Município de Não-Me-Toque, onde pode observar outra realidade de desenvolvimento econômico e social do nosso Estado. Parabenizou o senhor Marcos Dutra pela iniciativa corajosa nos dias de hoje e desejou muito sucesso no seu empreendimento no ramo esportivo denominado Arena Soccer, que certamente contribuirá para a qualificação da atividade esportiva de nosso Munícipio.  

"Encontrei um Plano de Governo do ano de 1998 do então candidato a Prefeito Laudelino Cunha de Moura e a Vice Prefeito do senhor João Maximiano Garcia, onde ao final do referido documente existia um juramento de cumprir as promessas que estavam contidas no referido Plano de Governo, portanto espero que os atuais candidatos a Prefeito na próxima eleição municipal assumam o compromisso de cumprir aquilo que conste nos seus Planos de Governo”, pontuou Teixeira. 

Aproveitando destacou que o Processo de Contas do Exercício do ano de 2007, do Prefeito José Felipe da Feira, foi rejeitado pelo Tribunal de Contas, sendo o referido parecer acompanhado pela comissão de Orçamento Finanças e Controle Externo da Casa Legislativa, que na época era presidida pelo então vereador Ronaldo Costa Madruga e era o relator o vereador Jaime Iran Fernandes Lucas, mas que foi derrubado em plenário pelos vereadores no ano de 2010, que votaram contra o parecer do Tribunal de Contas, com a justificativa que o mesmo não concorreria a mais nenhum cargo público, o que não aconteceu, pois concorreu a Prefeito no ano de 2012 e conseguiu ser vitorioso na eleição municipal. 

“Portanto enquanto os vereadores votarem nos Processos de Contas de Prefeito de algum exercício anterior, com a promessa de aquele que está sendo julgado não concorrerá a mais nenhum cargo político, cometerão um erro que pode lhes custar à vaga no Legislativo Municipal ou no Executivo Municipal”, finalizou Geovane.

0 comentários: