24 de jun de 2016

Em assembleia, professores do RS decidem manter greve da categoria

Após seis semanas em greve, os professores estaduais se reuniram nesta sexta-feira (24) e decidiram manter a paralisação da categoria. A decisão foi tomada em assembleia no Ginásio Gigantinho, em Porto Alegre. Foram 730 votos pela continuação da greve e 691 pelo fim do movimento. 

A assembleia começou às 14h. Após a fala da presidente do Cpers, Helenir Schürer, outros 16 professores se inscreveram para discursar, tendo três minutos para defender a opinião. Para não haver dúvidas, a votação de hoje ocorreu em urnas, e a contagem dos votos levou cerca de 30 minutos. Antes das 17h, o resultado foi anunciado para a categoria. 

A presidente do Cpers, Helenir Schurer, admitiu que a votação foi apertada e que a adesão à greve já reduziu desde o início, mas destaca que o sindicato irá trabalhar para mobilizar a categoria. 

"O resultado tem muito a ver com a intransigência do Governo do Estado. Nós temos que fazer a categoria continuar unida e buscar aqueles que já voltaram, esse é o grande desafio", destaca. Helenir ainda afirma que o sindicato vai tentar restabelecer uma negociação com o Governo já na próxima semana. 

Na última quarta-feira, o governo do Estado apresentou uma resposta à contraproposta que havia sido encaminhado pela categoria. No documento, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) reafirmou que vai revogar a criação de um grupo de trabalho que avaliaria a gratificação do difícil acesso. A pasta também prometeu nomear professores sempre que necessário e a priorizar o pagamento da autonomia financeira das escolas. 

A resposta do governo também trazia a promessa de repassar R$ 40 milhões, até o fim de junho, para obras em escolas. A Seduc, no entanto, voltou a dizer que não tem como discutir reajuste salarial pelas dificuldades financeiras do Estado. 

Sobre a situação do ponto dos grevistas, o governo propôs não descontar os dias parados se os professores cumprirem os dias letivos, por meio de um calendário de recuperação das aulas perdidas. Após a decisão, porém, o executivo divulgou nota anunciando o corte do ponto.

0 comentários: