Últimas Notícias
Carregando...

Pedras Altas: Empresa complementa projeto da usina Ouro Negro para receber licença prévia

A direção da empresa acredita que a licença prévia do empreendimento será emitida assim que o Ibama receber o deferimento da ANA

A Ouro Negro Energia S/A (ONE S/A) acrescentou, recentemente, novas informações ao projeto da Usina Termelétrica Ouro Negro. A empresa realizou uma complementação no processo de outorga dos recursos hídricos, junto à Agência Nacional de Águas (ANA), referente ao fósforo e ao oxigênio que serão dissolvidos. “Apresentamos um programa de monitoramento sobre esses itens. 

A ANA irá deferir nos próximos dias. Apresentaremos o deferimento ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e será emitida a LP (licença prévia do empreendimento que está projetado para ser construído em Pedras Altas)”, informa o presidente da ONE S/A, Silvio Marques Dias Neto. 

Com a LP em mãos, a empresa poderá inscrever o projeto da UTE Ouro Negro em um dos leilões de geração de energia. No dia 29 de abril, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizou o primeiro Leilão de Geração de Energia A-5 deste ano. Nenhuma das cinco termelétricas a carvão habilitadas para participar do certame tiveram projetos contratados. 

Segundo Silvio, o preço de referência estabelecido não foi convidativo para as térmicas. O valor inicial estipulado pelo governo federal variou de R$ 251 o megawatt-hora para projetos a biomassa e a carvão a R$ 290 para gás natural. Esse foi um dos motivos que levou a ONE S/A desistir de participar do leilão dias antes da sua realização. Primeiramente, a empresa optou por não disputar porque o projeto da UTE ainda não conta com a LP, sendo esse um dos requisitos fundamentais. Por enquanto, não há previsão de um novo certame em 2016. “O governo federal, através do Ministério de Minas e Energia, está estudando o aperfeiçoamento do modelo de geração de energia elétrica. No entanto, tem que haver uma retomada da economia do país para criar demanda por energia”, observa o executivo. 

 A UTE Ouro Negro está orçada em mais de R$ 4 bilhões. A nova usina a carvão mineral contará com dois geradores de 300 megawatts cada. Durante a construção do empreendimento, a previsão é que sejam criados cerca de quatro mil empregos diretos. Já na fase de operação, a expectativa é que sejam gerados 500 postos de trabalho diretos.  

HIDRELÉTRICAS E PARQUE EÓLICO – A ONE S/A está envolvida também com o desenvolvimento de três projetos energéticos, sendo um parque eólico e duas centrais hidrelétricas. “Todos em processo de desenvolvimento técnico”, diz Silvio. 

O parque eólico, de 100 megawatts, está previsto para ser instalado em Pinheiro Machado. A ONE S/A investirá cerca de R$ 250 milhões no projeto. A previsão é que sejam gerados 500 empregos diretos na fase de construção do complexo e 30 quando o empreendimento estiver em funcionamento. As hidrelétricas estão projetadas para serem construídas em Piratini e Pedras Altas. 

A central de Piratini será abastecida pelo arroio das Pedras e a de Pedras Altas pelo arroio Candiotinha. A hidrelétrica de Piratini contará com um investimento de R$ 18 milhões e a de Pedras Altas, R$ 10 milhões. Os projetos serão custeados 30% com recursos próprios da empresa e 70% através de linhas de financiamento. De acordo com Silvio, os resultados dos estudos que estão em andamento é que vão indicar a quantidade de energia que cada hidrelétrica terá capacidade de gerar.

Leia também:

0 comentários