14 de mar de 2017

Protesto contra desligamento da fase B resulta em novas agendas

Cerca de dois mil manifestantes, conforme estimado pela organização, participaram de um ato, na manhã de ontem, contra o desligamento da fase B da Usina Termelétrica Presidente Médici. Desde as 7h, representantes de entidades sindicais distribuíam panfletos para os motoristas que passavam em frente ao trevo de acesso a Candiota, na BR-293.

A partir das 10h, as atividades se focaram num palco montado ao lado do posto São Simão, onde sindicalistas e lideranças políticas expuseram sua contrariedade à medida tomada pela Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (Eletrobras/CGTEE).

Para os próximos dias, estão reservadas articulações em âmbitos estadual e federal. O ato se estendeu durante toda manhã. Além dos agentes políticos e sindicatos ligados à causa, a manifestação também teve apoio da comunidade e trabalhadores de Candiota. A prefeitura suspendeu o expediente para que os servidores pudessem participar do movimento. A mudança na rotina diária alcançou o poder Legislativo de Bagé, que cancelou a sessão ordinária de ontem. As esferas estadual e federal também tiveram representatividade. Da Câmara dos Deputados, quem compareceu no evento foi o parlamentar Afonso Hamm (PP). Já da Assembleia Legislativa, marcaram presença Luís Augusto Lara (PTB), Zé Nunes (PT) e Jéferson Fernandes (PT). 

Audiência com ministro 

Nos próximos dias, lideranças regionais devem buscar novas agendas. Conforme o prefeito de Candiota, Adriano dos Santos, a luta será pela manutenção do complexo, com base nas exigências do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e a prorrogação até 2024 do prazo para que a CGTEE faça tais adequações. Cabe salientar que tal intervenção deveria ter sido feita pela companhia até o final do ano passado, conforme o Termo de Ajustamento de Conduta assinado em 2011, com o Ibama. O primeiro passo deve ser dado no dia 20. Segundo Hamm, o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, deve cumprir uma agenda, na data, com o governador José Ivo Sartori. Isso no Palácio Piratini. Embora o encontro esteja restrito ao Executivo estadual, o prefeito de Candiota adianta que uma comitiva da região deve ir até Porto Alegre, na busca por uma audiência com o ministro. No final do protesto de ontem, sindicatos e prefeitura elaboraram uma carta de apoio à fase B. A intenção, segundo exposto pelo presidente do Sindicato dos Mineiros de Candiota, Wagner Pintos, é entregar o documento para o governador, os ministros do Meio Ambiente, Minas e Energia, Casa Civil e o maior número de deputados (estaduais e federais). As agendas sobre a manutenção da usina prosseguem no mês que vem. De acordo com Pintos, está marcada para o dia 6 de abril, uma audiência com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em Brasília. A comitiva, que envolve sindicatos e lideranças políticas, também busca um encontro com a Eletrobras. Porém, até o momento não houve retorno da empresa quanto a uma data para a reunião. 

Frentes parlamentares 

Na quinta-feira passada, o deputado estadual Luís Augusto Lara protocolou, na Assembleia Legislativa, o pedido para instauração de uma frente parlamentar em defesa da fase B. No entanto, para que o grupo seja instalado, oficialmente, é preciso a assinatura de 19 deputados. Para obtenção do número necessário de apoiadores, o Sindicato dos Eletricitários do Rio Grande do Sul (Senergisul) deve promover, nesta semana, uma série de articulações nos gabinetes dos parlamentares. O fato foi confirmado pelo diretor estadual do sindicato, Jorge Sinott. Inclusive, está prevista uma reunião para hoje, entre Lara e os eletricitários. E não está descartada a possibilidade de frente parlamentar também na Câmara dos Deputados. Durante pronunciamento no protesto de ontem, Hamm demonstrou total apoio à luta pela manutenção da fase B. Por conta disso, Darlan Oliveira, também diretor estadual do Senergisul, enfatiza que a entidade irá propor ao deputado federal a criação de uma frente, em Brasília. À reportagem, Hamm destacou que o pedido não havia chegado. Contudo, deixou claro que, se houver necessidade, buscará a formatação do grupo.

http://www.jornalfolhadosul.com.br/noticia/2017/03/14/protesto-contra-desligamento-da-fase-b-resulta-em-novas-agendas

0 comentários: