25 de jun de 2015

Javali: Exótico e nocivo, presente há 26 anos no Brasil e na região

Nativo da Europa, Ásia e Norte da África, o javali foi introduzido na América do Sul entre os anos 1904 e 1906, na província de La Pampa, na Argentina. Invadiu o território brasileiro em 1989, quando o Rio Jaguarão estava com o nível muito baixo em razão de forte estiagem. Também foi trazido clandestinamente do Uruguai por pessoas interessadas na sua criação ou mesmo na sua introdução com propósitos cinegéticos. (caça). 

Desde então, o animal, que pode chegar a 250 quilos e já está presente em mais de 10 estados brasileiros, tem sido responsável por causar impactos sociais e econômicos, por meio do ataque a seres humanos e a animais domésticos, de cruzamentos indevidos com porcos e de destruição de plantações em áreas agrícolas, além da transmissão de doenças para pessoas e para animais de criação. 

O interesse pela espécie levou o tecnólogo em Gestão Ambiental, Marcelo Mesko Rosa, a abordar o tema no trabalho de conclusão de curso que apresentou no ano passado, intitulado "Diagnóstico socioambiental da presença do javali em: agroecossistemas no município". Neste ano, o pinheirense graduado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPe1) campus Pinheiro Machado, expôs os dados da pesquisa aos produtores rurais que prestigiaram a Semana de Meio Ambiente Pinheiro, promovida pela Prefeitura na semana passada. 

Outro fator que o fez tratar do assunto foi que, cada vez mais, os produtores relatam os problemas que enfrentam por causa dos javalis asselvajados. "Foram relatados casos de ataques a ovinos, bovinos e equinos. Danificam pastagens nativas e cultivadas. Atacam cães de pastoreio, inclusive levando-os à morte. Destroem lavouras, onde se pode destacar um maior prejuízo no porém, soja, sorgo e melancia também fazem parte de sua alimentação", diz Rosa. 

O tecnólogo salienta que a captura do animal é muito difícil e deve seguir a instrução normativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que decreta a nocividade do javali e dispõe sobre o seu manejo e controle, e autoriza o controle populacional do animal vivendo em liberdade em todo o território nacional. 

De acordo com ele, os principais métodos de controle são caça (com ou sem auxílio de cães), armadilhas e substâncias químicas. "A caça com o auxílio de cães é a modalidade que demonstrou maiores resultados e as outras modalidades também têm sido utilizadas, porém com bem menos eficiência", destaca, lembrando que toda a atividade de controle populacional da espécie deve ter a autorização do ibama. 

 CONTROLE - O profissional menciona que ainda não foi encontrada uma forma de controle eficaz e com custos razoáveis. "O controle de javalis vivendo em vida livre pode ser realizado sem limite de quantidade e em qualquer época do ano. É vedado o uso de produtos cuja composição ou método de aplicação sejam capazes de afetar animais que não sejam alvo do controle", informa. Com custos razoáveis, ele diz que não existe uma maneira de os produtores evitarem a presença de javalis em suas propriedades. "Talvez em pequenas propriedades ou em pequenas áreas de cultivo seja possível. Em grandes áreas acredito que seja inviável. O mais fácil é diminuir a incidência, mas, para isso, o controle populacional deverá ser contínuo." 

PEDRAS ALTAS - Rosa elaborou a pesquisa em Pinheiro Machado. Contudo, ele ressalta que em Pedras Altas também há uma grande incidência de porcos selvagens, sendo esse um dos primeiros municípios brasileiros a relatar o aparecimento da espécie. "Assim como Pinheiro Machado e Pedras Altas, todos os municípios da região apresentam excelentes condições de sobrevivência, da espécie, tais como espaço, alimentos, locais para refúgio e ausência de predador natural", conclui: 

SAIBA MAIS 
* Os javalis percorrem grandes distâncias em busca de alimento; 
* Pode transmitir diversas doenças para os rebanhos de criação; 
* São onívoros generalistas, ou seja, alimentam-se praticamente de tudo; 
 * Um único casal de javali pode gerar 10 mil descendentes em cinco anos; 
 *A carne do javali é considerada nobre por ser exótica. Tem sabor suave, lembra carne suína e tem baixo teor de colesterol. Alguns açougues vendem carne de javali, produzido em criações autorizadas e o preço é alto. 

Matéria vinculada no Jornal Tribuna do Pampa.

0 comentários: