30 de jan de 2016

Prefeitura de Pinheiro Machado alega crise e explica falta de investimentos no Carnaval

Através de uma nota de esclarecimento divulgada em seu site oficial, a Prefeitura de Pinheiro Machado explicou os motivos que a fizeram diminuir a verba destinada ao Carnaval de 2016.

Desde o início, a nota traz como motivos a “crise financeira que assola a nação brasileira, em que as acentuadas, progressivas e assustadores quedas de arrecadação são verificadas a cada data de arrecadação e obrigações da municipalidade, a cada dia, são geradoras de maiores despesas, além de sofrerem acréscimos, sendo o município obrigado a arcar com serviços e ações que não são de sua responsabilidade, mas de outras esferas governamentais”.

O poder executivo alega que as demandas nas áreas da saúde, educação e obras necessitam da verba destinada à festividade. “A frota municipal carece de reparos a todo o momento, não há como renovar. O número de pacientes atendidos pelo município pode ser visto e é constatado que requer uma despesa alta aos cofres do município. Logradouros públicos, urbanos e rurais precisam de uma atenção especial do município, necessitando de serviço de manutenção com urgência. Enfrenta-se, mensalmente, uma verdadeira batalha para efetuar o pagamento do salário dos servidores, não raramente comprometendo o pagamento de fornecedores e prestadores de serviços, para que ativos e inativos tenham seu salários creditados, ainda que com atrasos”, justifica a nota.

Por fim, é evidenciado que a Prefeitura sempre prestou apoio à realização do Carnaval e da Comparsa da Canção Nativa, mas diante da realidade financeira vivenciada pelo município “seríamos irresponsáveis se agíssemos de forma diferente do que estamos adotando. Se nossa decisão contraria os anseios de alguns, seguramente servirá para, ao menos temporariamente, garantir o direito de outros”.

Clique Aqui e assine o jornal.
Redator: Tradição Regional
Foto: Tainã Valadão
Fonte: http://www.jornaltradicao.com.br/site/content/variedades/index.php?noticia=16721

0 comentários: