Últimas Notícias
Carregando...
,

O outro lado da história

Foto: Tainã Valadão
Em conversa com a secretária de educação de Pinheiro Machado, Marilete Peres, buscando esclarecer informações divulgadas pelo blog Pinheironline intitulada como “Mais de 15 crianças esperam ansiosas o primeiro dia letivo, mas Prefeitura não disponibiliza transporte”, recebi relato diferente do fato que foi divulgado. 

Conforme consta na matéria vinculada ao blog “...Mais de 15 crianças ficaram com suas roupas e a mochila pronta, esperando ansiosamente pelo primeiro dia de aula, mas o mesmo não foi disponibilizado pela Prefeitura de Pinheiro Machado. As autoridades de Pinheiro Machado, depois de 3 meses de férias, resolveram simplesmente nos últimos dias de que não iriam levar para escola as crianças que são do município de Piratini, nem mesmo os pais se propondo a levar as crianças onde o transporte Municipal faz trajeto...”

Marilete informa de maneira contraria a divulgada no veículo de comunicação dizendo que a decisão foi tomada no dia 27 de outubro de 2015, quando esteve em Piratini conversando com a secretária de educação do município. 

"Estive na Secretaria de Educação de Piratini em 27 de OUTUBRO DE 2015, conversando com a Secretária Rosana, quando comuniquei que a partir de 2016 o transporte dos alunos de Piratini ficariam por conta desse município. Que a escola do Passo do Machado continua a disposição dos alunos, mas que caberia a eles fazer o transporte, o que a Secretária entendeu. Depois foi encaminhado o nome dos alunos e localidades, por intermédio da Diretora Cati. Em dezembro a Secretária Rosana disse que manteria os alunos conosco e daria o transporte. Outra, temos o maior respeito com os alunos e pais e inclusive estamos conversando com vários deles e os ajudando solucionar o transporte”, esclareceu Marilete. 

*** Não somos profissionais na área de jornalismo, mas estamos sempre atentos a "pitacos" de profissionais da área, e uma coisa que estamos adotando, é o fato de ouvir sempre os dois lados, ainda mais em ano eleitoral. 

Leia também:

0 comentários