28 de jan de 2017

Feovelha tem abertura oficial

A 33ª Feira e Festa Estadual da Ovelha, a Feovelha, teve cerimônia de abertura ontem de manhã, no pavilhão de remates do parque Charrua, em Pinheiro Machado. O evento foi prestigiado por prefeitos, deputados estaduais e federais, representantes de entidades locais, estaduais e federais, instituições financeiras, produtores, entre outros. 

O mestre de cerimônias foi o diretor da Farsul, Hermes Ribeiro, que pela manhã, promoveu um debate, junto ao estande do Senar, sobre economia regional, com a participação das autoridades, que visitaram o evento, transmitido pela Rádio Liberdade de Canguçu. 

O presidente do Sindicato Rural de Pinheiro Machado, Gabriel Camacho, agradeceu o apoio de toda a equipe que trabalha na realização da feira e convidou a todos para prestigiarem a Feovelha, que continua até domingo. 

O prefeito de Pinheiro Machado, José Antônio Costa, parabenizou a diretoria pela organização da exposição, que superou adversidades, somou esforços para superar os momentos de adversidade e realizar a Feovelha, que é o maior evento do município, e repercute fora da região, Estado e país. Já o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco) sediada em Bagé, Paulo Schwab, destacou a parceria de entidades como o Sebrae, Senar e Farsul e o governo do Estado, que realizam trabalho diferenciado em favor da ovinocultura, esta um dos suportes da economia regional. 

De acordo com Schwab, a cadeia ainda precisa se organizar, principalmente no que diz respeito aos mercados, como o da carne de cordeiro, uma das mais caras do mercado, disse. Para ele, a ovinocultura possui um futuro promissor, citando as suas inúmeras potencialidades, além da carne, a lã e o artesanato. 

Homenagens 
Durante a solenidade, foram entregues duas distinções para pessoas e entidades que se destacaram em favor da ovinocultura da região e do município. Foram entregues pelo presidente do Sindicato, Gabriel Camacho, troféu à extensionista da Emater, Neli Enilda Ferreira da Silva, pelo empenho e dedicação ao evento Feovelha. 

Ela agradeceu a distinção e reconhecimento e lembrou de quando a feira era apenas um projeto, que tomou corpo e se transformou no maior evento do município. Também foi homenageado o presidente do Sistema Farsul, Carlos Rivacci Sperotto, pelo seu apoio ao longo do tempo à ovinocultura. Sperotto foi representado pelo vice-presidente da Farsul, Gedeão Pereira, que agradeceu a homenagem feita ao presidente Sperotto, segundo ele, merecida pelas suas ações ao longo dos anos em que está à frente da entidade. 

Pereira também destacou a importância do evento para o município e a diversificação das atividades da região presentes na Feovelha, com enfoque especial ao vinho. O secretário de Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, representou o governador do Estado, José Ivo Sartori. Ele ressaltou a coragem dos organizadores e patrocinadores em acreditar na ovinocultura e realizar este evento que demonstra a valorização do setor. 

Julgamentos e Rematão 
Desde ontem de manhã, o parque Charrua sedia o julgamento de classificação de todas as raças ovinas. Também foi promovido o Rematão que colocou em pista um número aproximado de 2500 exemplares à venda. O leilão começou às 13h, e até o fechamento desta edição, ainda não havia sido finalizado. Também foram promovidas oficinas e dois concursos pela Emater: VII Concurso de peles curtidas – Emater e o X Concurso de artesanato em lã - Emater. 

Javalis 
Já a primeira atividade da Feovelha aconteceu na quinta-feira, em evento promovido pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação que abordou o controle do javali no Rio Grande do Sul. A proliferação da espécie, que não tem predador, tem provocado prejuízos para o setor rural, visto que os animais atacam lavouras de grãos, como soja, arroz, milho e, também a pecuária e a ovinocultura, esta última, por sinal, é um dos motivos, junto aos crimes de abigeato, apontados para a diminuição do rebanho no Estado. 

Com presença do secretário da Agricultura, Ernani Polo, foram assinadas duas instruções normativas. A primeira autoriza o transporte de carcaças do animal, pois antes era permitido apenas o abate. Já a segunda instrução, refere-se a coleta de sangue do animal para que sejam verificadas a presença ou não de doenças nestes animais. 

Polo ressaltou que a assinatura surgiu a partir de demanda da Associação e Sindicato Rural de Bagé e que após foi formado um grupo de trabalho, capitaneado pela pasta e que contou com entidades como a Farsul, Fetag, Arco, Fundesa, entre outras. “Acreditamos que estamos fazendo a nossa parte para controlar esse animal que tem provocado diversos prejuízos para o setor rural”, destacou Ernani Polo. 

Presente no evento, o secretário de Desenvolvimento Rural de Bagé, Cléber Zuliani Carvalho, comentou que a iniciativa é de extrema valia, visto que hoje a caça do animal é permitida, porém, o transporte ainda é proibido. “Na ovinocultura, os prejuízos são inúmeros porque um produtor perdeu 70 cordeiros em virtude do ataque desses animais. Isso afeta, principalmente, os pequenos produtores que poderiam ter com essa atividade, um ganho importante para sua propriedade e, muitas vezes, desistem de investir em ovinos por conta dos javalis”, reforçou Carvalho. 

A Feovelha prossegue, sábado e domingo, com diversas atrações como remates, julgamentos de ovinos, oficinas, Veloterra, provas com cavalos Crioulos, shows, culinária, entre outras atividades.

http://www.jornalfolhadosul.com.br/noticia/2017/01/28/feovelha-tem-abertura-oficial-

0 comentários: